2017 ano 8

Pesquisar este blog

Translate

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Em que situação você procuraria a ajuda de um Psicólogo?

Através de encaminhamento médico. 2 (4%)
Ao perceber dificuldades em resolver problemas cotidianos. 10 (23%)
Ao sentir que está com problemas emocionais graves. 20 (46%)
Autoconhecimento. 11 (25%)

Enquete encerrada: Total de votos: 43

Nota: Esta enquete esteve ativa de 18/05 à 24/06.
Obrigado à todos que participaram.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

PLANTÃO PSICOLÓGICO NA DELEGACIA

C:\Documents and Settings\usuario\Meus documentos\Minhas 
imagens\fameblu_grupo.gif

    






PLANTÃO PSICOLÓGICO NA DELEGACIA


Silvia Peres Moraes Silva
Acadêmica
Carolina Santos Soejima (CRP 12/08784)
Elaine C. Coelho de Campos (CRP 12/102718)
Professoras Orientadoras


Este trabalho refere-se ao estágio do quinto ano de Psicologia da FAMEBLU/UNIASSELVI, prestado em uma delegacia de polícia em Pomerode. O Plantão Psicológico na Delegacia é realizado duas vezes por semana e destina-se ao acolhimento e aconselhamento das vítimas e suas famílias.

Plantão Psicológico é uma intervenção que acolhe a pessoa no exato momento de sua necessidade, para ajudá-la a lidar com seus recursos e limites, acolhendo a sua experiência. O objetivo é auxiliar a pessoa na resolução de seus conflitos e sofrimentos psicológicos, focando as questões urgentes, de extrema necessidade (MAHFOUD, 1987). Técnicas utilizadas no estágio: redução de ansiedade, aumento de auto-estima, clarificação, ventilação, encorajamento e aconselhamento.

Resultados: Este trabalho possui funções terapêuticas, preventivas e preparatórias, porque além de envolver cuidados com o indivíduo, evita a cronicidade de uma dificuldade que o mesmo está enfrentando e ainda o sensibiliza para um futuro tratamento psicológico, caso haja necessidade. A característica mais comum às vítimas atendidas é a baixa auto-estima e essas relataram que se sentiram melhores após o atendimento no momento de crise.

Avaliação do Estágio: Percebeu-se o benefício do acolhimento do problema no momento em que ele ocorre; a necessidade de adaptação do estagiário com o não planejado e a possibilidade de encontro único e, finalmente, a necessidade de revisão e formação profissional habilitada para o trabalho do psicólogo nas Delegacias.

REFERÊNCIA

MAHFOUD, Miguel. A vivência de um desafio: Plantão Psicológico. In Rosenberg, R.L. (org.), Aconselhamento Psicológico Centrado na Pessoa, E.P.U., São Paulo, 1987, pp.75-83

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Psicologia no Ramiro Ruediger - Caminhada da Saúde

CAMINHADA DA SAÚDE







O Grupo UNIASSELVI/FAMEBLU promoveu mais uma Caminhada da Saúde, oferecendo um dia de ações de atendimento à comunidade. O evento ocorreu no domingo, dia 13 de junho, com saída do Parque Ramiro Ruediger, às 10h, em direção às principais ruas de Blumenau. O trajeto incluiu passagem pela Rua 7 de Setembro, em frente ao Shopping Neumarkt; Rua 15 de Novembro, Rua Amadeu da Luz, retornando ao Parque Ramiro Ruediger aproximadamente às 11h30min.

Após a caminhada, coordenadores, professores e acadêmicos dos cursos de Administração (Comércio Exterior, Finanças, Marketing e Recursos Humanos), Biomedicina, Ciências Contábeis, Direito, Educação Física, Enfermagem, Fisioterapia, Gastronomia, Nutrição, Psicologia e Sistemas de Informação, prestaram atendimento gratuito à comunidade até às 16 hs.

Os atendimentos incluiram tipagem sanguínea, dosagem de glicemia e colesterol, medição de pressão, avaliação física, reeducação postural, avaliação nutricional e educação alimentar e nutricional, orientações jurídicas, orientações sobre o mercado de trabalho, dicas de administração no dia-a-dia, atividades com jogos educacionais, recreação e apresentação de pratos gastronômicos.
Acompanhado e filmado por Voz da Psicologia

terça-feira, 1 de junho de 2010

 Entrevista com Sandra Bocchi.

Texto redigido por
Sandra Bocchi
Formanda em Psicologia pela Uniasselvi
(10º semestre)

Gostaria de contribuir com estudantes que estão em processo de formação, fazendo uma reflexão sobre toda trajetória enquanto acadêmicos, e, por conseguinte transformando-se em psicólogo (a).
Certamente não é fácil, talvez seja esse um dos motivos da desistência de muitos estudantes, e isso eu diria que é para todos os cursos. Mas sabemos que é possível vencer todas as dificuldades que enfrentamos no lugar de acadêmicos.
Acredito que no período da graduação recebemos muitos conhecimentos, mas é bom que tenhamos consciência de que temos que buscar mais, pois o que recebemos enquanto acadêmicos não é o suficiente, creio que sempre estaremos buscando nos aperfeiçoarmos mais e mais e certamente sempre haverá algo para agregar. A participação de Congressos contribui muito para ampliarmos o nosso olhar e até mesmo para decidirmos em que abordagem vamos melhor nos adaptarmos, visto que na psicologia temos um leque de possibilidades. 

Sobre a graduação na Uniasselvi...

Falando da minha graduação falo da Uniasselvi, confesso que tenho orgulho em ser aluna dessa Universidade. É inegável o grande desenvolvimento dessa Instituição, uma das coisas que me chamou atenção aqui, quando me informei sobre o curso, foi saber que já no quarto semestre íamos a campo, essa era uma preocupação minha, teoria tem que vir junto da prática, e isso foi oferecido em nossa graduação.
Embora por sermos a primeira turma da Uniasselvi passamos por alguns obstáculos para conseguirmos o espaço para estagiarmos, fomos dando um jeito e nos infiltrando por diversos setores, passei pela escola, grupos com idosos, empresa na área organizacional, clínica de cirurgia bariátrica e por fim essa experiência que estou vivenciando desde o 9º semestre, que é hospital no setor de Oncologia SUS, está sendo muito rica pra mim, eu diria que de grande crescimento tanto pessoal quanto profissional.Nesse sentido, percebo que esse espaço é ideal para vermos o sujeito como biopsicossocial, não dá para falar de câncer sem olhar o sujeito por essa perspectiva, considerando seu contexto como um todo, que dirá muito a respeito da sua doença. 

Minha perspectiva em relação à profissão...

Confesso que me sinto preparada para enfrentar o mercado de trabalho. Pretendo no primeiro momento fazer uma especialização, gosto e me identifico bastante com a psicanálise, pretendo futuramente abrir minha clínica e atuar com essa abordagem. Já cogitei a possibilidade de fazer psicologia hospitalar e trabalhar no hospital penso que neste espaço o psicólogo pode ser muito útil e poderá contribuir para aliviar o sofrimento dos seres humanos.
Por fim, sinto que estou cada vez mais certa que a psicologia contribuiu para que me transformasse como pessoa. E aí falo da importância da análise que faço a mais de três anos. Vejo como requisito crucial para todo estudante de psicologia fazer algum tipo de terapia, não importa que abordagem ele escolha, seja análise ou terapia, mas que lhe faça bem, e ajude a trabalhar suas questões para poder contribuir de alguma forma com seres humanos, afinal esse deveria ser o objetivo de todo psicólogo.