2017 ano 8

Pesquisar este blog

Translate

terça-feira, 1 de junho de 2010

 Entrevista com Sandra Bocchi.

Texto redigido por
Sandra Bocchi
Formanda em Psicologia pela Uniasselvi
(10º semestre)

Gostaria de contribuir com estudantes que estão em processo de formação, fazendo uma reflexão sobre toda trajetória enquanto acadêmicos, e, por conseguinte transformando-se em psicólogo (a).
Certamente não é fácil, talvez seja esse um dos motivos da desistência de muitos estudantes, e isso eu diria que é para todos os cursos. Mas sabemos que é possível vencer todas as dificuldades que enfrentamos no lugar de acadêmicos.
Acredito que no período da graduação recebemos muitos conhecimentos, mas é bom que tenhamos consciência de que temos que buscar mais, pois o que recebemos enquanto acadêmicos não é o suficiente, creio que sempre estaremos buscando nos aperfeiçoarmos mais e mais e certamente sempre haverá algo para agregar. A participação de Congressos contribui muito para ampliarmos o nosso olhar e até mesmo para decidirmos em que abordagem vamos melhor nos adaptarmos, visto que na psicologia temos um leque de possibilidades. 

Sobre a graduação na Uniasselvi...

Falando da minha graduação falo da Uniasselvi, confesso que tenho orgulho em ser aluna dessa Universidade. É inegável o grande desenvolvimento dessa Instituição, uma das coisas que me chamou atenção aqui, quando me informei sobre o curso, foi saber que já no quarto semestre íamos a campo, essa era uma preocupação minha, teoria tem que vir junto da prática, e isso foi oferecido em nossa graduação.
Embora por sermos a primeira turma da Uniasselvi passamos por alguns obstáculos para conseguirmos o espaço para estagiarmos, fomos dando um jeito e nos infiltrando por diversos setores, passei pela escola, grupos com idosos, empresa na área organizacional, clínica de cirurgia bariátrica e por fim essa experiência que estou vivenciando desde o 9º semestre, que é hospital no setor de Oncologia SUS, está sendo muito rica pra mim, eu diria que de grande crescimento tanto pessoal quanto profissional.Nesse sentido, percebo que esse espaço é ideal para vermos o sujeito como biopsicossocial, não dá para falar de câncer sem olhar o sujeito por essa perspectiva, considerando seu contexto como um todo, que dirá muito a respeito da sua doença. 

Minha perspectiva em relação à profissão...

Confesso que me sinto preparada para enfrentar o mercado de trabalho. Pretendo no primeiro momento fazer uma especialização, gosto e me identifico bastante com a psicanálise, pretendo futuramente abrir minha clínica e atuar com essa abordagem. Já cogitei a possibilidade de fazer psicologia hospitalar e trabalhar no hospital penso que neste espaço o psicólogo pode ser muito útil e poderá contribuir para aliviar o sofrimento dos seres humanos.
Por fim, sinto que estou cada vez mais certa que a psicologia contribuiu para que me transformasse como pessoa. E aí falo da importância da análise que faço a mais de três anos. Vejo como requisito crucial para todo estudante de psicologia fazer algum tipo de terapia, não importa que abordagem ele escolha, seja análise ou terapia, mas que lhe faça bem, e ajude a trabalhar suas questões para poder contribuir de alguma forma com seres humanos, afinal esse deveria ser o objetivo de todo psicólogo.


2 comentários:

  1. Aloisio Filgueiras21 de junho de 2011 00:34

    Parabens Sandra! Texto com conteudo, profissional a vista! Que sua caminhada seja muito produtiva e beneficiente aos que precisam...boa sorte!

    ResponderExcluir