2017 ano 8

Pesquisar este blog

Translate

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Amor Patológico

...Segundo algumas hipóteses, é bastante provável que esse quadro de Amor Patológico possa estar associado a outros transtornos psiquiátricos, tais como quadros depressivos e ansiosos (Wang, 1995). Pensa-se também que o Amor Patológico possa ocorrer isoladamente em personalidade mais propensas e vulneráveis (Gjerde, 2004), ou ainda em pessoas com extrema baixa auto-estima, (Bogerts, 2005). Em casos mais expressivos o Amor Patológico vem acompanhado de sentimentos invasivos de rejeição, de abandono e de raiva (Donnellan, 2005). LER MAIS

para referir:
Ballone GJ - Complicações do Amor, in. PsiqWeb, Internet - disponível emhttp://www.psiqweb.med.br/, revisto em 2007

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Psicologia nas escolas: PL 3688/2000

A proposta que garante atendimento por profissionais de psicologia e serviço social a alunos das escolas públicas de educação básica (PL 3688/00) deve ser analisada, até o final deste ano, pela Comissão de Educação e Cultura. A afirmação é da relatora do projeto no colegiado, deputada Keiko Ota (PSB-SP)...http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/EDUCACAO-E-CULTURA/432007-ATENDIMENTO-PSICOLOGICO-A-ALUNOS-PODE-SER-VOTADO-NESTE-ANO.html


Projeto que inclui Psicologia e serviço social nas escolas é debatido na Câmara:  http://site.cfp.org.br/projeto-que-inclui-psicologia-e-assistencia-social-nas-escolas-e-debatido-na-camara/


Audiência destaca o trabalho multidisciplinar na Educação. Assistentes sociais e psicólogos/as lotam plenário da Câmara dos Deputados para discutir o PL Educação, que pode ser votado ainda este ano: http://www.cfess.org.br/visualizar/noticia/cod/889

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Ato Médico: PL alternativo recebe parecer favorável do relator

O Projeto de Lei nº 6.126/2013, que altera a Lei 12.842/2013 (Ato Médico) recebeu, nesta quinta-feira, 28 de novembro, parecer favorável do relator, deputado Nazareno Fonteles (PT-PI). O PL, alternativo ao Ato Médico, está pronto para entrar na pauta da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados.
O Conselho Federal de Psicologia se posiciona contrário ao PL, que novamente estabelece como privativa de médicos a formulação do diagnóstico nosológico e a prescrição terapêutica, com o acréscimo da seguinte frase “exceto nos protocolos do Sistema Único de Saúde”. Tal artigo foi amplamente rejeitado pelo conjunto das categorias profissionais da saúde, por interferir no trabalho multiprofissional e invadir as demais áreas, numa mobilização que durou 11 anos de muito debate e esclarecimentos sobre os problemas que causaria à saúde brasileira, caso fosse aprovado.
A Frente dos Conselhos Profissionais da Área da Saúde (FCPAS), integrada pelo CFP, elaborou uma proposta ao texto, que se tornou uma emenda e foi apresentada pelo deputado Professor Sérgio de Oliveira (PSC-PR). O relator, em seu voto, rejeitou-a: “Quanto à emenda apresentada, consideramos que as mudanças que propõe não apresentam diferenças significativas do texto original. Em nossa opinião, o projeto estabelece com clareza o seu propósito. Desta forma, manifestamos o voto pela aprovação do Projeto de Lei 6.126, de 2013 e pela rejeição da emenda apresentada”.
Uma das propostas da emenda era acrescentar no item I-A do art. 4º o termo “médico” para qualificar diagnóstico e prescrição terapêutica. Veja aqui o relatório completo.
Tramitação
Apresentado no dia 20 de agosto ao Plenário da Câmara, a matéria foi apreciada em 30 do mesmo mês pela mesa diretora da Casa. Em 5 de setembro passou pela Coordenação de Comissões Permanentes, sendo encaminhada no dia 9 daquele mês para a Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF), onde recebeu no dia 28 de novembro parecer favorável do relator.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

sábado, 14 de setembro de 2013

Prêmio Ig Nobel de Psicologia 2013

O Prêmio Ig Nobel é um prêmio dado para a descoberta científica mais estranha do ano. Os prémios são entregues a cada outono para honrar estudos e experiências que primeiro fazem as pessoas rir e depois pensar. O nome, pronunciado nas cerimônias de premiação como "aigui-noubél", é um trocadilho com o nome "Nobel" de Alfred Nobel e a palavra anglófona ignoble (lit. ignóbil), que representa algo "não nobre", vil ou desprezível.
O prêmio fora criado pela revista de humor científico Annals of Improbable Research (Anais da Pesquisa Improvável) e os prêmios são entregues em Harvard. A ideia é premiar pesquisas raras, honrar a imaginação e atrair o interesse público para a ciência, a medicina e a tecnologia.
Foram entregues pela primeira vez em Harvard em 1991, sendo a cerimônia abrilhantada pela presença de verdadeiros laureados com o Prêmio Nobel, que entregam o respectivo Prêmio Ig Nobel ao vencedor, numa cerimônia que até (desde 1996) inclui uma mini-ópera, a meias entre cantores de ópera profissionais e laureados com prêmios Nobel.
Equipe da Universidade Pierre Mends (França) recebeu o Prémio  de Psicologia entre os atribuídos pela revista de humor científico Annals of Improbable Research, que foram entregues na quinta-feira à noite na Universidade  de Harvard (Estados Unidos). O prêmio foi para o estudo dos cientistas que provaram que quanto mais se bebe mais atraente se pensa ser. A autoria é dos franceses Laurent Bègue, Oulmann Zerhouni, Baptiste Subra e Medhi Ourabah, além do americano Brad Bushman.

domingo, 8 de setembro de 2013

Psicologia, religião, espiritualidade e laicidade

O Estado laico deve ser entendido como princípio pétreo, pois é sob essa base, segura e inquestionável, que se assenta a igualdade de direitos aos diversos segmentos da população brasileira, cuja extraordinária diversidade cultural e religiosa, uma das maiores do planeta, constitui um formidável potencial para resolução de inúmeros problemas que assolam a sociedade contemporânea.
O Estado brasileiro, entretanto, não nasceu laico. Durante séculos o país viveu sob a égide de uma religião oficial, o que determinou a interferência do dogma religioso na política do Estado. Durante esse período, ocorreram perseguições religiosas e muitas arbitrariedades foram cometidas, com perseguições a grupos que preconizavam uma religião de matrizes indígena e africana. Com a República, o país tornou-se oficialmente laico e, com a Constituição de 1988, esse fato foi reafirmado de forma representativa pela população brasileira, conquistando total legitimidade.
Afirmar que o Estado é laico não implica alegar que as pessoas devam ser desprovidas de espiritualidade e da prática religiosa. No Brasil, como se sabe, o povo experimenta forte sentimento de religiosidade, expresso por meio de múltiplas formas de adesão religiosa, dadas as suas raízes indígenas, europeias e africanas, a cujas determinações culturais e religiosas se associaram outras, advindas do continente asiático. São exatamente os princípios constitucionalmente assegurados que permitiram a ampliação das denominações religiosas, hoje presentes na cultura nacional, e também concederam aos cidadãos brasileiros o direito de se declarar não adeptos de qualquer religião. Afirma-se, portanto, e, antes de tudo, o “direito à liberdade de consciência e de crença”.
Como o Estado de Direito é preservado e retroalimentado pelas instituições que compõem a sociedade, tanto as ciências como as práticas profissionais delas decorrentes devem, obrigatoriamente, orientar suas ações com base no princípio pétreo da laicidade do Estado e da ciência. Assim, a Psicologia brasileira, por meio do Sistema Conselhos de Psicologia, reconhece a obrigatoriedade de pautar-se por esse referencial ao realizar suas ações de orientação, fiscalização e regulamentação da profissão. Isso faz parte do compromisso social da Psicologia. Ler mais...

Manifesto do MEEL

sábado, 24 de agosto de 2013

Liberdade e dinâmica psicológica em Sartre

Liberdade e dinâmica psicológica em Sartre

Freedom and dynamic psychology in Sartre

Daniela Ribeiro Schneider
Psicóloga, Mestre em Educação (UFSC), Doutora em Psicologia Clínica (PUC-SP), Professora do Departamento de Psicologia da UFSC.

RESUMO
O artigo aborda a contradição entre o fato de o homem ser ontologicamente livre, mas, ao mesmo tempo, experimentar-se psicologicamente “determinado”, como se fosse compelido a certos comportamentos indesejados. Como é possível compreender tal paradoxo? Para tanto, o artigo aborda: 1) a proposta de Sartre, de uma nova perspectiva para a psicologia clínica, estabelecida a partir de interlocuções com a psicanálise freudiana; 2) a história de um indivíduo, que utilizaremos como “estudo de caso” no transcorrer de nossa explanação, especificamente a biografia de Jean Genet, escrita por Sartre; 3) o conceito de liberdade na concepção sartriana e suas implicações na compreensão do humano; 4) a questão da dinâmica psicológica e seus desdobramentos para o entendimento dos impasses psicológicos. Com esses elementos, forneceremos alguns subsídios dessa teoria buscando elucidar como são possíveis tais contradições.
Palavras-chave: Jean-Paul Sartre; Jean Genet; Liberdade; Dinâmica psicológica; Psicologia existencialista.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Ato Médico: Profissionais da saúde fazem manifesto em defesa dos vetos da Dilma

As palavras de ordem “Congresso, presta atenção! Manter o veto é saúde pra nação” e “Dilma vetou, a saúde gostou” deram o tom da manifestação que reuniu mais de mil pessoas nesta terça-feira (6/8) na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Profissionais de 13 áreas da saúde, usuários e estudantes solicitam aos parlamentares a manutenção do veto à Lei 12.842/2013, que regulamenta a atividade médica no País, conhecida por Ato Médico.
O grupo se concentrou em frente à Biblioteca Nacional e fez uma caminhada rumo ao Congresso Nacional portando faixas e cartazes em defesa dos vetos presidenciais ao Ato Médico. “Juntas, as profissões têm força e podem conseguir a manutenção e um direito que é de todas (os) profissionais e da sociedade”, alegavam os manifestantes.
Durante a manifestação, a conselheira do Conselho Federal de Psicologia (CFP), Cynthia Ciarallo, frisou que a saúde não pode ser restrita a um único campo de conhecimento ou área profissional. “Sem os vetos, a saúde perde e compromete o SUS [Sistema Único de Saúde]”, disse.

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

ABAIXO-ASSINADO PELA MANUTENÇÃO DO VETO PARCIAL DA PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF AO PL DO ATO MÉDICO

Os vetos da Presidenta Dilma Rousseff à Lei nº 12.842/2013, conhecida como Ato Médico, que dispõe sobre o exercício da Medicina, agora serão apreciados em sessão conjunta do Senado e da Câmara dos Deputados. O trâmite está previsto no parágrafo 4º, artigo 66, da Constituição Federal, que estabelece: "O veto será apreciado em sessão conjunta, dentro de trinta dias a contar de seu recebimento, só podendo ser rejeitado pelo voto da maioria absoluta dos Deputados e Senadores, em escrutínio secreto".
Para que Deputados e Senadores mantenham os vetos da Presidenta, envie e-mail para todos, explicando que esses pontos vetados são prejudiciais à população e aos demais profissionais de saúde. CLIQUE AQUI

quinta-feira, 18 de julho de 2013

PL 3688/2000

O projeto de Lei 3688/2000, que prevê a inserção de profissionais da Psicologia e do Serviço Social na rede pública de educação básica, foi aprovado por unanimidade na manhã desta quarta-feira (10) pela Comissão de Educação (CE) da Câmara dos Deputados.
Na semana passada, houve um impasse durante a votação na CE por conta do empate de dez votos a favor e dez contra o projeto. Nesta quarta, foi realizada nova votação, após a relatora ter refeito o relatório, que não alterou a essência do PL.
“É uma vitória porque a Comissão de Educação reconhece a contribuição que a Psicologia e o Serviço Social têm dado e podem dar ainda com mais intensidade para a garantia do direito à educação de crianças e adolescentes brasileiros”, comemora o presidente do Conselho Federal de Psicologia, Humberto Verona.
De acordo com o conselheiro do CFP, Celso Tondin, a participação da (o) psicóloga (o) será regulamentada em uma perspectiva institucional que contemple a atuação nas políticas públicas de educação, sob uma ótica participativa, envolvendo estudantes, professores, famílias e comunidade, superando a noção das práticas clínicas que culpabilizam os indivíduos. Tondin destacou ainda a fundamental participação e contribuição da relatora do PL, Deputada Keiko Ota, no processo.
O projeto segue agora para a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e depois para o plenário da Casa.

sábado, 13 de julho de 2013

Sigmund Freud - A Invenção da Psicanálise (1997)

Faculdades Maria Thereza lançam Pós-Graduação em Psicoterapia Breve Reichiana

As Faculdades Maria Thereza (FAMATH) em parceria com a Neurofocus Psicoterapias abrem as inscrições para a pós-graduação em Psicoterapia Breve Reichiana. As aulas serão ministradas aos sábados, das 8h às 17h, a partir do dia 24 de agosto, em Niterói (RJ). Com carga horária de 390 horas, o curso é voltado para formandos e profissionais de psicologia e de medicina, e tem como diferencial aliar a teoria à prática.

Os coordenadores são os especialistas em orgonoterapia: o psiquiatra João Paulo Lyra, com doutorado em Saúde Pública, e a psicóloga Frinéa Brandão. A maioria do corpo docente tem mestrado e doutorado, além dos professores que possuem ampla experiência na abordagem reichiana e título de especialista.

“Iremos avaliar ao longo do curso quais são os alunos mais empenhados para realizarem estágio supervisionado e remunerado em clínica no Centro do Rio, com atendimento por plano de saúde”, conta Frinéa sobre o cuidado em apoiar os alunos na formação de carteira de pacientes.

Serão utilizadas abordagens metodológicas com atualização constante, análises críticas fundamentadas teoricamente, modernos métodos e práticas psicoterápicas, e as disciplinas são baseadas em estudos de casos. Como projeto de conclusão, os alunos irão apresentar casos clínicos para a aplicação prática dos conhecimentos adquiridos.

O processo seletivo para o curso de pós-graduação lato sensu em Psicoterapia Breve Reichiana será realizado por meio de análise curricular e, se necessário, prova e entrevista. Investimento: R$ 280 mensais. As Faculdades Maria Thereza ficam na Rua Visconde do Rio Branco, 869, São Domingos, Niterói – próximo à estação das barcas. Mais informações: 0800 282 0890,FAMATH e GRUPO NEUROFOCUS.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Cronologia do PL do Ato Médico

Infográfico

Desde que o Projeto de Lei do Ato Médico foi apresentado pela primeira vez no Senado Federal, em 2002, o CFP luta e se mobiliza para que o PL não seja aprovado da forma como está, já que restringe a atuação dos outros profissionais da área e cria uma hierarquização em detrimento da multidisciplinaridade consagrada pelo SUS. Ao longo deste período, conjuntamente com os Conselhos Regionais e outros conselhos da saúde, participou de inúmeras manifestações.
O Conselho Federal de Psicologia tem tido, historicamente, uma atuação destacada na defesa de temas de interesse coletivo e não corporativos na área da saúde. Um dos assuntos que mais preocupa a categoria no momento é o Projeto de Lei nº 268/2002, o qual se convencionou chamar de Ato Médico.
Desde o início de sua tramitação, o CFP e diversas categorias da saúde pública no Brasil, se mobilizaram pela não aprovação da matéria, que interfere no exercício de outras profissões da saúde. O CFP sempre esteve à frente das manifestações, como a que reuniu mais de 50 mil pessoas em atos realizados em diversas cidades e capitais brasileiras, em 2004.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Presidenta Dilma veta parcialmente o PL do Ato Médico

Vitória da Saúde: Psicologia comemora decisão corajosa da presidenta Dilma ao vetar parcialmente o PL do Ato Médico

CFP inicia campanha pela manutenção dos vetos pelo Congresso

Na quarta-feira (10), a presidenta Dilma Rousseff, vetou parte do Projeto de Lei que, ao regulamentar a Medicina, interferiria nas atividades das outras categorias da Saúde. O CFP saúda a decisão da presidenta e comemora o fato de os vetos valorizarem o trabalho multiprofissional na Saúde e, em especial, no Sistema Único de Saúde.
Esta é uma vitória do esforço de mobilização das e dos profissionais da Psicologia que, ao lado das diversas profissões de Saúde, mantiveram aceso por 11 anos o debate sobre o tema. Nos últimos meses, a categoria atuou nas ruas e na internet de forma excepcional, garantindo a exposição do tema na sociedade.
O principal problema do projeto era o inciso 1º do artigo 4, que previa que a formulação do diagnóstico e a respectiva prescrição terapêutica seriam atividades privativas dos médicos, ou seja, determinaria que só eles poderiam diagnosticar doenças e decidir sobre o tratamento. No caso da Psicologia, as psicólogas e psicólogos não poderiam mais diagnosticar transtornos mentais.
Assim, o CFP apoia a decisão da presidente Dilma que, em seu veto, defendeu o Sistema Único de Saúde e a atuação integrada dos profissionais da área. A presidente ressaltou que a sanção do texto “poderia comprometer as políticas públicas da área de saúde, além de introduzir elevado risco de judicialização da matéria”. Vale destacar, ainda, que nenhum ministério emitiu parecer favorável ao projeto.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Uma boa metáfora

Do blog de 

PSICANÁLISE E ARTE


Uma boa metáfora da luta contra o ATO MÉDICO é a luta contra os vinte centavos.  Vimos todos que a questão é imensamente maior, o buraco é mais embaixo.  Não lutamos contra os médicos, eles são nossos colegas e companheiros, precisamos deles tanto quanto eles precisam de nós. Nossa luta é contra uma mentalidade reducionista, que se propõe a criar castas. Estas foram criadas desde que o mundo é mundo para dominar e impor. Seria a criação de uma elite. Pergunto-me, precisamos de elites onde quer que seja, e de uma no campo da saúde? O ATO MÉDICO viria decompor o que é necessário ser composto, e não decomposto. Fragmentar o campo da saúde adoeceria a todos, não apenas aos pacientes que nos procuram por seus sofrimentos, mas aos profissionais da saúde. O ATO MÉDICO...

sexta-feira, 21 de junho de 2013

CFP REAGE CONTRA APROVAÇÃO DO ATO MÉDICO

 

Na calada da noite de terça-feira (18/6), o Senado Federal antecipou a ordem do dia e aplicou um duro golpe nos profissionais de saúde com a aprovação do Projeto de Lei (PL) nº 268/2002, que dispõe sobre o exercício da Medicina, conhecido como Ato Médico.
ler mais: 

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Simpósio Internacional de Psicopedagogia 2013


Nesta edição, a programação foi elaborada tendo como objetivo
oferecer a oportunidade dos simposistas interagirem
e participarem de modo efetivo das atividades propostas.


Estão previstos Fóruns, Colóquios, Painéis, Palestras e Conferência, com a participação de palestrantes internacionais e de mais de 30 palestrantes brasileiros de grande reconhecimento nacionalmente.

Presidente do Simpósio: Quézia Bombonatto 

II Congresso Internacional de Saúde Mental

II Congresso Internacional de Saúde Mental, ocorrerá em Irati-PR, nos dia 7, 8 e 9 de agosto de 2013. Inscrições de trabalho completo e resumo até dia 10 de junho. O congresso é promovido pelo Dep. de Psicologia da Universidade Estadual do Centro-Oeste e tem o apoio da Política Nacional de Humanização (PNH/Ministério da Saúde), Escola de Saúde Pública do PR, ABRAPSO/Núcleo Irati e Fundação Araucária. Mais informaçoes pelo site:
http://eventos.unicentro.br/cis2013/index.php



CÂNCER NO SÉCULO XXI. O PAPEL DA PSICOLOGIA NOS CUIDADOS A PACIENTES ONCOLÓGICOS E SEUS FAMILIARES

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Colóquio de Orientação Profissional, de Carreira e Aposentadoria



O Instituto do Ser realiza o evento em comemoração aos seus 20 anos de existência, 17 anos do Curso de Formação em OPC – A facilitação da escolhae 2 anos de migração para Santa Catarina.
As informações pertinentes – inscrições, submissão de trabalhos, datas, local do evento, entre outras – estará disponível no site, em construção, a seguir: www.coloquioopca.com.br.

sexta-feira, 12 de abril de 2013

14 de abril é o Dia Nacional de Luta pela Educação Inclusiva



No ano de 2004, o Sistema Conselhos de Psicologia instituiu o dia 14 de abril como o Dia Nacional de Luta pela Educação Inclusiva. 
 
O objetivo continua sendo o de mobilizar os psicólogos em torno das  políticas que versam sobre a inclusão de pessoas que, historicamente, são excluídas do processo educacional

Debate online sobre Políticas Públicas de Educação Básica

No dia 17 de abril, a partir das 19 horas, será realizado o debate online para lançar o documento do Crepop, que traz referências técnicas para a atuação das(os) psicólogas(os) em Políticas Públicas de Educação Básica.

O debate será mediado pela Conselheira Marilene Proença e contará com a presença dos especialistas que participaram na elaboração do documento, a psicóloga e colaboradora do CRP-06, Carmen Silvia Rotondano Taverna, a psicóloga e professora da Universidade Federal de Rondônia, Iracema Neno Cecílio Tada e a psicóloga e professora da Universidade Estadual de Maringá, Marilda Gonçalves Dias Facci.

Os participantes do debate online terão direito a retirar o certificado após o evento.

Para isso, é necessário preencher o cadastro no site:

FONTE: http://www.crpsc.org.br/

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Adoecimento e a Clínica da Inclusão

Receber um diagnóstico médico, no caso de doenças graves,  é uma situação que envolve muitos sentimentos. Nesses casos, as pessoas se deparam com a perda de algo que tinham como certo, sua saúde. O desespero e a aflição são os sentimentos mais comuns que acompanham essas situações, bem como  as situações em que, por algum motivo, é necessária a amputação de parte do nosso corpo. Nesses contextos, muitas vezes, quem está mais perto do paciente são familiares e profissionais da área da saúde que, na maior parte das vezes, não está preparado para lidar com o que acontece diante desse sofrimento.Leia texto completo aqui

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

VIII Congresso Nacional da Psicologia

O site do VIII Congresso Nacional da Psicologia (CNP) já está no ar e traz as principais informações para a categoria ficar por dentro das etapas preparatórias, acessar o regulamento, os textos geradores que subsidiam os debates, as datas de cada fase, além de tirar dúvidas sobre o Congresso. A página pode ser acessada pelo endereço http://cnp.cfp.org.br/